- »

fevereiro 12, 2010

Rawr... Catfight! ;)

Ao final das lutas e de todas as bebidas que conseguimos achar naquele apartamento gigante, nos encontrávamos caídas no tapete felpudo delicioso do quarto de televisão, cada uma de nós. Uma das garotas, a Michelle, disse que a inexistência de um campeonato como aquele para mulheres era um absurdo e eu, óbvio, concordei imediatamente. Foi então que alguém argumentou que meninas eram incapazes de lutar daquele jeito e deu-se início a uma gritaria absurda, todas bêbadas e discordando entre si.

Com a finalidade de provar o seu ponto, a Michelle incitou uma briga desajeitada e engraçada com outra das garotas, uma moreninha cujo nome eu não me recordo. Começaram a rolar pelo tapete, nos atropelando, numa demonstração bêbada de violência-de-brincadeirinha. Elas se desequilibravam e acabavam deferindo golpes por acidente, aí se xingavam, claro. Era hilário. E, bom, não tem nada mais interessante para mim do que uma mulher em cima da outra.

_Nós deveríamos fazer isso qualquer dia... – cutuquei a Mia e, sem precisar fazer muito esforço, fiz uma cara de sem-vergonha - ...o que você acha, huh?

Ela começou a rir e eu ri de volta, sem deixar de observar a pseudo-luta das meninas. Com o canto do olho, reparei que a Mia ainda me olhava e virei o rosto novamente na sua direção. Ela sorriu, sem jeito, para mim e eu achei graça. Perguntei do que ela estava envergonhada e ela balançou a cabeça, como se não fosse nada. Sorri e voltei a olhar para as garotas, que continuavam empenhadas em imitar o Forrest Griffin, isto é, na medida do possível.

_Está achando interessante? – ela me perguntou, sentada ao meu lado, abraçando os joelhos.
_Opa... – eu ri – ...se eu soubesse que ia rolar luta entre duas mulheres eu nem teria me atrasado.
_Ah! Então, quer dizer que você veio pelas minhas amigas? Essas loucas? – ela brincou, fingindo-se de ofendida.
_Não, claro que não - respondi, séria - eu vim por você.

Ela sorriu, satisfeita, e eu voltei a olhar para a briga.

_Hm... Talvez a gente devesse mesmo fazer isso, um dia desses... – ela comentou, um tempo depois, baixinho.
_O que?? – olhei para ela na mesma hora.
_Você sabe... – ela riu – acho que você deve lutar bem... Ou não?
_Nossa, muito! – respondi, prontamente - digo, não quero parecer convencida nem nada, mas eu sei lutar... muito, muito bem.
_Eu imagino... – ela falou, quase sem querer.
_Ah, é? Imagina mesmo? – eu virei o corpo na sua direção e apoiei minhas mãos ao lado das suas pernas – assim... mas imagina com que freqüência?
_Você é uma tonta – ela riu e me afastou de si, como se estivesse constrangida por mim.
_É... Mas, mesmo assim, é você que quer lutar comigo... – argumentei, deitando novamente, com as mãos atrás da cabeça.
_Que absurdo! Foi você que começou! – ela me deu um tapa leve na barriga, revoltada.
_Ok... – eu sentei de novo e olhei a Mia nos olhos – se eu te chamar, algum dia desses, você vai?
_Eu... eu não sei – ela disse, incerta, como se estivesse realmente considerando a oferta.
_E se eu te chamasse hoje? – perguntei, logo em seguida, e ela me encarou por um tempo.
_Talvez.

9 comentários:

Janaina disse...

fuck fuck fuckkkk
o pior é saber q vou ter q esperar o feriado todo p ler o próximo!!!!!

Deh disse...

" Talvez"
vc eh fodaa pqp!!

Noelly Castro disse...

É muita sacanagem! ahh, esses finais.. ahhhhhh

RrrRr!;*

Ketty disse...

Talvez... :)
A história tá ótima!!
posta mais please.

deusa_da_agua disse...

Para as mulheres um talvez quer dizer sim!*.*
Adorei chegar aqui e ter mais um post,obrigada por alegrar meu sábado!xD

Cris. disse...

Puts
Talvez...

Eita estratégia cruel de sempre deixar algo no ar!

Só tem próximo depois do carnaval mesmo??? o.o

Bjo.

Anônimo disse...

Caraca, estou fascinada pela história, este conto 'real' ou não, é tudo que o imaginável espera, é de sentir sensações inconfudiveis....Amei. Vc está de parabéns Mel Tatoo
Ed - João Pessoa-PB.

Marina disse...

"assim... mas imagina com que frequência?" hahahaha

Anônimo disse...

"E, bom, não tem nada mais interessante para mim do uma mulher em cima da outra."