- »

janeiro 07, 2010

Pausa para pizza

_Mia, oi! – me assustei.

Entrei na cozinha e, para minha surpresa, a vi sentada à mesa com o Fer. Tinha me esquecido completamente da possibilidade de encontrá-la no apartamento naquele sábado, droga. Me enrolei para disfarçar, nervosa:

_O que você está fazendo aqui?
_Eu... vim... visitar o Fê? – ela respondeu, sem entender o porquê da pergunta.
_Óbvio!
_Você bebeu? – o Fer me perguntou, como se eu fosse louca.
_Não, claro que não – eu ri, sem jeito, tentando disfarçar meu comportamento bizarro – só não sabia que vocês estavam aqui...
_Eu ia lá te falar “oi” – ela explicou – mas a porta do seu quarto estava fechada, então...
_É, eu tava meio ocupada – eu e a Clara nos olhamos, rindo, e a Mia pareceu incomodada – Bom, continuem o que quer que vocês estivessem fazendo, nós só vamos pegar a pizza e já estamos saindo. Ignorem a nossa presença.

Atravessamos a cozinha rindo e cochichando. A Clara abraçou minhas costas enquanto eu vasculhava a geladeira atrás da pizza. Perguntei se ela costumava comer aquilo no Ártico e ela riu, me apertando ainda mais, com carinho.

_Não, o delivery não chega. Eu me viro com focas e pingüins.
_...ursos não?
_Não, não. Grandes demais.
_Você não pode pedir para o seu agente te comprar um já fatiado? – perguntei, enquanto colocava nossos pedaços de pizza no microondas.
_Acho que sim... – ela respondeu – está aí uma vantagem de ser uma esquimó mundialmente conhecida.
_Ursos polares de jantar.
_Exatamente. Isso e um iglu king-size só para mim.

Não conseguíamos parar de rir daquela baboseira. Agíamos como se estivéssemos completamente fumadas – o que era parcialmente verdade. Na mesa, o Fer e a Mia nos olhavam assustados e sem entender uma palavra. Eu me sentia bem, me sentia leve. Beijei a Clara demoradamente.

_Hmmm, Bowie... – ela zombou, me puxando pela camiseta – quem diria que eu ia gostar tanto de garotos, hein?
_Não se preocupa, baby... – respondi baixinho no ouvido dela – I fuck like a girl.

Nos beijamos de novo e rimos. A nossa presença contagiava todo o cômodo – e era provavelmente irritante. O Fer agora ignorava a nossa paixonite adolescente, lendo qualquer coisa na caixa de cereal, enquanto a Mia ainda nos olhava atentamente. Senti que lhe devia explicações:

_Eu sou... o David Bowie – apontei minha camiseta – e eu estou pegando a Björk! – sorri, satisfeita –  ...entendeu?

Ela meio sorriu de volta, sem achar graça, enquanto a Clara escondia o riso no meu ombro. Fiquei parada, olhando para a Mia, tentando decifrar a sua reação. Inutilmente. Após alguns segundos, percebi que ficar lá não ia melhorar em nada o clima. Os olhares ficavam cada vez mais tensos, quase incômodos.

_Vamos, vou te mostrar onde fica o backstage, gata... – disse sorrindo, puxando a Clara pela mão.

Fomos juntas até a porta da cozinha, ainda rindo e com as mãos dadas. Olhei para a Mia mais uma vez antes de sair e ela continuava lá, parada, me observando.


Não consigo te entender, pensei. E saí.

1 comentários:

lu disse...

Este post é uma graça! Como a FM consegue, a cabeça em um lugar e o "resto do corpo" em outro!?! :/